Deuses não respeitam contratos

Na mitologia nórdica, Voton pede aos gigantes que construa uma fortaleza.

Como pagamento, ele promete dar aos gigantes Freia, sua sobrinha.

Na hora do pagamento, Voton simplesmente nega o que foi combinado, alegando que eles levaram a sério o que foi dito num gracejo e manda eles pedirem outra coisa.

Os gigantes se tornam impotentes e indignados.

O engraçado dessa história é ver que o bem é astuto e não é escravo de contratos.
Para os deuses as relações de proteção e de subordinação não são relativos à questões contratuais, mas relativas ao sangue, ao bem e à virtude.

Disso entendemos que negócios você faz com demônios inferiores, com deuses você só deve obediência mesmo. O que eles oferecem é dádiva.

Há uma história medieval sobre isso. A história de São Basílio e o escravo de Herádio.

Havia um homem chamado Herádio que tinha uma filha única e que desejava entregá-la à vida religiosa.

Este homem também possuía um escravo, que foi inflamado de amor pela jovem através de uma ação do diabo.

Vendo que este amor era impossível, o escravo recorreu a um feiticeiro para que lhe ajudasse.

Este feiticeiro lhe enviou ao diabo por meio de uma carta. Assim, recomendou-lhe que, em uma determinada hora do dia, deveria permanecer sobre um túmulo pagão e invocar demônios para que lhe aparecessem.

Ao invocar os demônios, apareceu-lhe o príncipe das trevas. Então, os dois começaram a dialogar e o diabo exigiu do escravo a crença em seu poder, a renúncia a Cristo e a escrituração de um documento de seu próprio punho onde estaria a renegação a Cristo, ao
batismo, à fé cristã e a aceitação e reconhecimento de que ele era escravo do diabo.

Assim que redigiu o documento, os demônios atenderam o seu desejo: incitar na jovem o desejo pelo escravo. O pai da jovem lamentou muito, mas acabou cedendo às vontades da filha encantada pelo diabo.

Ambos se casaram.

São Basílio, sabendo das condições do casamento, procurou o rapaz e lhe perguntou se ele queria voltar para Deus. Este respondeu que sim, mas que havia se comprometido com o diabo e redigido o ato de renegação de Cristo.

Basílio então enclausurou o rapaz por muito tempo e sempre ia visitá-lo. Este sentia muitas opressões, escutava os gritos e as maquinações dos diabos que o acusavam de ter ido procurá-los.

Após muito tempo enclausurado, o rapaz foi conduzido por Basílio até a igreja.

Nesse momento inicia-se a disputa entre o santo e o demônio.

Deus intercede em favor de Basílio e o santo simplesmente rasga o contrato nas fuças do demônio.

No final, o escravo fica com a alma e com a mulher.

Comente aqui

Categorias

Asssuntos

Posts

Último Episódio

Quem faz

O podcast é apresentado por Gabriel Vince. Já foi estudante de filosofia, história, programação e jornalismo. Católico, latino e fã de Iron Maiden. Não dá pra ser mais aleatório que isso.

O cinema de horror de Kaneto Shindo
https://www.youtube.com/watch?v=wbmpNDbbFb4&feature=youtu.be O Japão, como qualquer outro país, possui uma rica...
Um tributo a Santo Agostinho e sua obra “Confissões”
"Certos homens odeiam a verdade, por amor daquilo que eles...
Ecloga VIII: O Amor não Correspondido
A Écloga 8 (Ecloga VIII; Bucólica VIII), também conhecida como...
O Anel do Nibelungo e suas influências
O Anel do Nibelungo é um ciclo de quatro óperas...
Rolar para cima